Olá, tudo bem?

Existem diversas estratégias dentro do mercado financeiro. Investir pensando em dividendos é uma das mais atrativas para os que pretendem construir uma renda passiva.

A seguir, entenda o que são dividendos, como funcionam e quando são pagos.

  • O que são dividendos?
  • Como é feita a distribuição?
  • O que é Data-Com e Data-Ex?
  • Qual a diferença entre dividendos e JCP?
  • Tributação de dividendos no Brasil;
  • O que é dividend yield?
  • 3 ações de dividendos para ter na carteira.

O que são dividendos?


O dividendo nada mais é do que um pedacinho do lucro de uma empresa que o acionista tem direito de receber — essa parcela dos lucros que é repassada aos sócios como dividendos e/ou Juros sob Capital Próprio (JCP) é chamada de payout.

É previsto, em lei, que pelo menos 25 por cento dos lucros devem ser distribuídos, mas podem existir algumas excepcionalidades em casos específicos.

Como é feita a distribuição?

O pagamento de dividendos é feito periodicamente e pode variar de empresa para empresa, podendo ser mensal, trimestral, semestral ou anual.

Vale mencionar que quando estamos falando de dividendos, os pagamentos são feitos em dinheiro, sendo proporcionais à participação que o acionista detém.

O que é Data-Com e Data-Ex?


Se o investidor quer receber os dividendos de uma determinada empresa, é necessário que compre as ações até a Data-Com. Agora, a Data-Ex, que é o dia posterior a Data-Com, é o termo usado para especificar quando o investidor não terá mais direito ao dividendo em questão. É comum falar que as ações estão negociando Ex-Dividendos, para você ter uma ideia, e é nessa data que ocorre o desconto no preço da ação.

Qual a diferença entre Dividendos e Juros sob Capital Próprio (JCP)?


Muito parecido com os dividendos, esse tipo de provento também é uma forma de remunerar o acionista em dinheiro. No entanto, na prática, a grande diferença é que os Juros sob Capital Próprio (JCP) não são isentos de Imposto de Renda, havendo um recolhimento na fonte de 15 por cento.

As empresas, basicamente, usam o JCP para se beneficiar sob o ponto de vista fiscal, aliviando o volume que a companhia paga de imposto — ao considerá-los como uma despesa, a empresa teria uma base de resultado menor a ser tributada, por isso o benefício fiscal.

Tributação de dividendos no Brasil


Conforme mencionado anteriormente, quando falamos de Juros sobre Capital Próprio (JCP), quem recebe JCP tem 15 por cento de Imposto de Renda retido na fonte. A isenção de imposto já foi discutida na reforma tributária no passado, mas a proposta foi arquivada. Portanto, esse “benefício” dos dividendos continua inalterado.

O que é dividend yield?


O Dividend Yield (DY) pode ser traduzido como “Rendimento de Dividendo”. É um indicador muito importante quando estamos falando de dividendos. Ele mensura o retorno da ação de acordo com o provento pago.

O Dividend Yield é calculado a partir do valor de dividendos pagos pela empresa, geralmente numa janela de 12 meses projetada no futuro, dividido pelo preço da ação.

DY = (Dividendos pagos por ação / Preço da ação) x 100

3 ações de dividendos para ter na carteira


Agora que você já sabe o que são os dividendos e como funcionam, entregamos o código de três ativos para você surfar com a valorização dos papéis dessas empresas e construir uma renda passiva.

São ações que fazem parte da carteira Nord Dividendos e que podem te oferecer proteção e resiliência no cenário atual de alta de juros.

Taurus Armas (TASA4)

A primeira ação de dividendos preferida do analista Guilherme Tiglia, responsável pela carteira Nord Dividendos, é a Taurus Armas (TASA4). Nosso analista explica que a companhia está crescendo com força há dois anos, não depende muito da economia brasileira, tanto é que cerca de 75 por cento da Receita Operacional Líquida é proveniente de vendas para os Estados Unidos, logo, é uma empresa bem dolarizada, o que contribui para a diversificação monetária de portfólio e também para um eventual cenário mais turbulento de recessão econômica por aqui.

O estatuto social da Taurus Armas determina que, no mínimo, 35 por cento do Lucro Líquido Ajustado da companhia seja distribuído aos acionistas em forma de proventos.

Inclusive, em abril deste ano, a Taurus Armas distribuiu 194 milhões de reais em proventos ou 1,65 real por ação, o que representa um ótimo dividendo.

A empresa atualmente negocia a baixíssimos 2,0x EV/EBITDA e apresenta um dividend yield de 10 por cento para os próximos 12 meses.

Engie Brasil (EGIE3)

A segunda companhia com recomendação de Compra e que possui uma ótima perspectiva de remunerar os seus acionistas com dividendos é a Engie Brasil (EGIE3).

Na avaliação do nosso analista, a companhia focada em geração de energia elétrica possui um excelente histórico de execução da gestão, boa administração, retorno aos acionistas em patamares elevados, alavancagem financeira controlada, previsibilidade nos resultados e bons projetos em andamento.

A nosso ver, a Engie Brasil possui uma série de características positivas que contribuem para a distribuição de proventos aos acionistas. Considerando a projeção de resultados, o bom histórico de desempenho operacional e pagamento de dividendos aos acionistas, a Engie Brasil deve continuar sendo uma ótima escolha para quem quer receber dividendos.

A empresa atualmente negocia a 8,0x EV/EBITDA  e um dividend yield de 8,5 por cento para os próximos 12 meses.

EDP Brasil (ENBR3)

Ainda entre as preferidas do nosso analista, está a EDP Brasil (ENBR3), uma companhia integrada do setor elétrico (Transmissão, Distribuição e Geração).

Aproximadamente 35 por cento do EBITDA vem de distribuição de energia, sendo o principal driver de crescimento o investimento orgânico em distribuição. Além disso, a empresa também oferece crescimento por meio da diversificação em transmissão de energia elétrica.

Nosso analista aponta que o aumento da exposição ao segmento de transmissão, além de trazer crescimento para a empresa, adiciona maior previsibilidade e estabilidade para o fluxo de caixa da companhia, e consequentemente para os dividendos.

Outro ponto positivo à tese é que a política de dividendos da EDP Brasil prevê um dividendo mínimo de 1 real e payout superior a 50 por cento do Lucro Líquido Ajustado.

Considerando o crescimento de resultados, boa visibilidade daqui em diante, valuation atrativo e boas chances de entregar um dividendo superior daqui para frente, reforçamos nossa recomendação de comprar para as ações da empresa.

Vemos os papéis da EDP Brasil sendo negociados a 4,5x EV/EBITDA e um dividend yield de 7,5 por cento para os próximos 12 meses.

Um abraço,